fbpx gtag('config', 'AW-681113638');

Vai Virado Viado

LGBT+, eletrônico

Público previsto: 500 foliões

O Vai Virado Viado surgiu em 2019 reconhecendo o crescimento da cena eletrônica underground de Brasília e, ao mesmo tempo, marcando uma posição política de enfrentamento à onda conservadora que o país tem vivido. Inspirado na noite de São Paulo – que, além e ter uma forte identidade queer, é conhecida como aquela que nunca dorme – a ideia do VVV é oferecer uma alternativa conceitual para quem quer estender a folia até mais tarde, promovendo a ocupação do espaço público como um ambiente livre de discriminações. Além disso, tem como objetivo reverenciar a comunidade LGBT, tanto por sua contribuição à cultura carnavalesca do Brasil como à cultura clubber – do techno, house, electro e suas vertentes – em todo o mundo. Em 2020, pelo segundo ano, o bloco integra a programação do Setor Carnavalesco Sul, um dos principais pólos oficiais do Carnaval brasiliense, é signatário da campanha Folia com Respeito e agora também compõe o projeto Carnaval de Todas as Cores, iniciativa que reúne e apoia mais de 20 agremiações que levantam a bandeira da diversidade sexual e de gênero.

PROGRAMAÇÃO

O VVV traz, pela primeira vez a Brasília, o DJ paulistano Edu Corelli, referência na cena clubber do país. Residente dos clubes D-Edge e Jerome, já passou por todas as pistas mais descoladas da noite de SP nos seus mais de 30 anos de carreira. Também é responsável pela trilha de diversos desfiles da São Paulo Fashion Week e – a.k.a Selma Serf-Service – foi o primeiro DJ a se apresentar montado no Brasil. Completam o line up a idealizadora da festa Sintra, Rayssa, um dos nomes de maior destaque na cena eletrônica do DF, e os realizadores do bloco Wilker e Le Caracortada, residentes do 5uinto Bar e produtores da festa Madness. O bloco, em formato “after hours”, contará ainda com performances e intervenções de artistas LGBT.

DOMINGO - 23/02

das 08h às 12h
Setor Comercial Sul